Expedição pelo Cânion do Rio Poti

11 ago / 16 8 : 30 h

Sucesso: essa é a palavra que resume os dez dias de expedição do Programa Tatu-bola pelo cânion do Rio Poti. Pesquisadores e biólogos do Ceará e de Minas Gerais estiveram em Crateús, sertão cearense, cheios de esperança e entusiasmo. O motivo? Identificar áreas de ocorrência do tatu-bola, animal presente na Caatinga e em algumas florestas do Cerrado brasileiro, ameaçado de extinção e categorizado como vulnerável na lista vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), que identifica espécies ameaçadas. A ação faz parte do Programa de Conservação do Tatu-bola, lançado em março deste ano na sede da Federação das Indústrias do Estado do Ceará, em Fortaleza. O tatu-bola é um mamífero nativo da Caatinga e do Cerrado que está ameaçado de extinção.

WhatsApp Image 2016-08-08 at 1.51.46 PM

WhatsApp Image 2016-08-08 at 2.40.16 PM

Os pesquisadores fizeram o reconhecimento da área por onde a expedição passou e exploraram sítios arqueológicos na Serra da Baleia em busca de vestígios do tatu-bola. O primeiro dia de expedição já começou promissor: à noite, período de maior atividade da espécie, encontraram um tatu-bola e coletaram amostras necessárias para o estudo do animal, analisaram a área onde ele foi encontrado. Também foram realizadas entrevistas com moradores da região a fim de sondar em que áreas os tatus-bola são frequentemente vistos.

A equipe realizou o levantamento de um novo sítio arqueológico e encontrou outra espécie rara: o urubu-rei. As descobertas fortalecem o trabalho do Programa Tatu-bola para a conservação da espécie e de seu habitat.

WhatsApp Image 2016-08-08 at 1.52.23 PM

WhatsApp Image 2016-08-08 at 3.40.32 PM

No sábado à noite, acompanhados dos moradores da comunidade do Bebedouro, os pesquisadores encontraram mais um tatu-bola, dessa vez uma fêmea. No domingo, saíram para Conceição dos Marreiros, onde estão acampados.

A expedição ao cânion do Rio Poti termina hoje, mas nos deixa cheios de satisfação pela dedicação da equipe e confiantes de que nosso trabalho segue pelo caminho certo. Além dos biólogos integrantes do Programa Tatu-bola, fazem parte da equipe geólogos e profissionais com experiência em unidades de conservação (UCs).

Veja mais fotos aqui.